ARTIGO ORIGINAL/ORIGINALARTICLERedução do tempo de hospitalização após cirurgia torácica de grande porte: identificação de factores determinantesEarly discharge following major thoracic surgery: identification of related factors
Review articleOpen access
Abstract:

RESUMOOs custos do internamento hospitalar têm relação directa com o tempo de permanência do paciente operado. Por outro lado, um menor tempo de internação permite aumentar a produtividade nos hospitais públicos com demanda reprimida. O objectivo deste estudo foi identificar factores determinantes da redução do tempo de internamento pós-cirurgia torácica de grande porte. O estudo retrospectivo por análise de prontuários foi dividido em duas fases. Na fase I levantou-se uma série consecutiva de 169 pacientes divididos em grupo I (n = 81) – operados no período de Junho de 1990 a 1995, e grupo II (n = 88) – 1996 a Maio de 2000, para verificação do tempo de internamento e factores relacionados. Na fase II levantou-se uma série consecutiva de 20 pacientes (grupo III) rectroagindo a partir de Março de 2002, para análise e comparação com um pequeno inquérito enviado pela internet para 21 cirurgiões torácicos. Na análise dos resultados observou-se que a quase totalidade dos pacientes prescindiu de UTI no pós-operatório imediato. O tempo de internamento médio caiu de 7,6 dias (mediana 7) no grupo I para 5,1 dias (mediana 4) no grupo II (p<0,001). A utilização mais frequente da analgesia epidural e o uso de vias de acesso menos traumáticas no grupo II alcançou significado estatístico (p<0,001). No grupo III o tempo de internamento médio foi de 4,2 dias (mediana 4), com uso mais efectivo da analgesia epidural (75%) e emprego da toracotomia vertical (90%). Oito cirurgiões torácicos responderam ao inquérito: o tempo médio de internamento informado variou de 5 a 9 dias, todos os pacientes foram enviados para a UTI ou similar, e apenas dois cirurgiões usam rotina toracotomia com preservação muscular. Este estudo confirma que o controlo da dor e o menor trauma da via de acesso são factores importantes para a mais rápida recuperação funcional dos pacientes. Sugere que o uso da UTI pode ser restringido para os pacientes de alto risco.REV PORT PNEUMOL 2003; IX (3): 205-213

Request full text

References (0)

Cited By (0)

No reference data.
No citation data.
Advertisement
Join Copernicus Academic and get access to over 12 million papers authored by 7+ million academics.
Join for free!